terça-feira, 6 de dezembro de 2011

E o tempo foge...



O tempo é um dos temas mais interessantes entre os escritores e uns dos meus favoritos. Abaixo as minhas frases preferidas sobre o assunto:


"Sed fugit interea fugit irreparabile tempus". (Mas ele foge: irreversivelmente o tempo foge).
Virgílio (70 – 19 a.c) poeta romano.


“Oh! Não me ataque com seu relógio! Um relógio é sempre muito rápido ou muito devagar... Eu não posso ser regulada por um relógio”.
Jane Austen (1775 – 1817), escritora inglesa.


 “Fiz um acordo de coexistência pacífica com o tempo: nem ele me persegue, nem eu fujo dele, um dia a gente se encontra”.
Mário Lago (1911- 2002), compositor, ator e dramaturgo brasileiro.




[Rubens - Saturno devora um dos seus filhos]


 “Só nos esquecemos do tempo quando o utilizamos.”
Charles Baudelaire (1821 – 1867), poeta francês.



“O tempo que passa não passa depressa. O que passa depressa é o tempo que passou”.
Vergílio António Ferreira (1916 – 1996), escritor português.


"Porque o tempo do ser vivo é breve, mas sob a terra o morto escondido vive um tempo eterno."
Sófocles. (496 a.C.? - 406 a.C.). Dramaturgo grego.


"Estamos todos matriculados na escola da vida, onde o mestre é o tempo." 
Cora Coralina ( 1889 - 1985) poeta brasileira.

quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Ler é Preciso

Na VII Fliporto, os escritores Gonçalo Tavares e Fernando Báez falaram da importância da leitura. Segue o link da matéria da revista Cult aqui.

terça-feira, 8 de novembro de 2011

Bram Stoker




"Como são abençoadas as pessoas cujas vidas não conhecem medos nem temores."  Drácula












Bram Stoker (8 de Novembro de 1847 —  20 de Abril de 1912) .

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

A Leitura Como Arte

[A Leitora (1872), Claude Monet]

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

Carlos Drummond



"Não tenho a menor pretensão de ser eterno. Pelo contrário: tenho a impressão de que daqui a vinte anos eu já estarei no Cemitério de São João Baptista. Ninguém vai falar de mim, graças a Deus. O que eu quero é paz".








[Estátua do poeta, em Itabira.]



Hoje, 31 de outubro, o IMS (Instituto Moreira Salles) realiza o Dia D - Dia de Drummond. Motivos e razões, aqui.

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A Arte da Leitura

[A Leitora, Federico Faruffini]

segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Jack London





"Não desperdiçarei meus dias
tentando prolongá-los.
Usarei meu tempo." 

sábado, 15 de outubro de 2011

A Leitura na Arte

[Mulher Lendo, Lovis Corinth]

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

quarta-feira, 6 de julho de 2011

Poema - 1/4 do Tempo


1/4 DO TEMPO



Retorno a mim
A uma parte perdida
Porque a deixei
Porque precisava partir


E crescer é necessário e cinza


Não serei mais o jovem que espera a noite o silêncio
O café quente da mãe
Suas rudes mãos conciliadoras


E num quarto esquecido
Uma aranha tece
Uma tênue teia de cristal
Reconstruindo um bosque de sonhos vagos e nebulosos



E revejo quem fui e não serei mais



Envelheci
e isto é uma dura lição.



Alex Zigar

sábado, 2 de julho de 2011

As Portas da Percepção

Jim Morrison (Melbourne, 8 de dezembro de 1943 — Paris, 3 de julho de 1971)

"If the doors of perception were cleansed everything would appear to man as it is, infinite."

William Blake

quarta-feira, 18 de maio de 2011

Poema - Noturno




NOTURNO



Ao anoitecer virás bater à janela
como os lepidópteros noturnos


seria lúcido talhar-se nesta noite
e interromper teu fluxo

tua carne exposta em mim
à mostra tuas entranhas

mas quero-te sem crime
a tecer casulos e depositar larvas

tua volição desnuda

debruçada
sobre o tapete da sala.


Alex Zigar

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Pablo Ruiz Picasso

Em 08 de abril de 1973 morria Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y Picasso, ou simplesmente Pablo Picasso.


[Picasso (1881 - 1973). Foto da revista argentina Vea y Lea]

Picasso trouxe a pintura para o centro ao romper com velhas tradições. Em seus quadros notamos a riqueza e a criatividade da sua técnica inovadora. Técnica esta que o transformou num dos gênios mais admirados do século XX. Um visionário capaz de captar intensamente emoções, pensamentos e beleza.

Frases de Picasso:

“Todo mundo quer compreender a pintura. [...] Por que as pessoas gostam de uma noite, de uma flor, de todas as coisas que as rodeiam sem tratar de compreendê-las?”

“A pintura não é feita para decorar as moradias. É um instrumento de guerra ofensiva e defensiva contra o inimigo.”

“A pintura nunca é prosa; é poesia, está escrita em verso com rimas plásticas [...] As rimas plásticas são formas que ressoam entre si, respondem a outras formas ou ao espaço que as rodeia.”

“Quando eu era criança minha mãe dizia: “Se te fazes soldado, chegará a general; se te fazes cura, chegarás a papa...”. Eu queria ser pintor e cheguei a Picasso.”
Quadros do artista aqui.

sexta-feira, 25 de março de 2011

Henry Miller




[Henry Miller, Fotografia de Carl Van Vechten, 1940 Jan. 22]












“A grande obra tem de ser obscura, exceto para poucos, para aqueles já iniciados em mistérios. Comunicá-los é secundário. Necessário mesmo é um bom leitor”.

Henry Miller (1891 – 1980), escritor norte-americano


sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Engenheiros do Hawaii - Piano Bar



Poucas bandas têm letras de músicas tão complexas como as dos Engenheiros do Hawaii. Sei que isto não é motivo para se ouvir música, mas para quem deseja sair um pouco do banal, eis uma ótima opção.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Para quem você guardará um Planeta?

["O Mármore Azul" a Terra vista da Apollo 17 (1972) - NASA]



Para quem você guardará um Planeta?


Para quem você deixará um planeta verde e limpo?
Para o homem burguês que está preocupado
Com as criancinhas que vivem nas ruas comendo bosta?
Ou para o homem máquina/industrial preocupado
Em jogar produtos químicos no rio que corre próximo a nossa casa
E que alimenta os pescadores pobres e deixa felizes os nadadores de fim de semana?
Deixará uma planta azul e sem contaminação
Para os filhos dos políticos preocupados em criar leis
Contra as queimadas, lixões e tráfico de animais?
Ou deixará um planeta vivo
Para o homem médio televisivo preocupado com a matança de baleias no Japão?
Você guardará um planeta
Para quem acredita que ele será destruído por Deus?
Ou para os imperadores americanos preocupados com a violência na América Latina?
Para quem você guardará um planeta:
Único, singular
E que roda, e que gira e que flutua no vazio?

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

O Gato de Rua

[Briga de Gatos (1786-1787) - Goya]



O Gato de Rua


O gato de rua é arisco,
Desconfiado,
Mas igual aos outros gatos.
Pula janelas e telhados
Ronrona
Lambe-se
Tem olhos ágeis de cristal puro
Assombra a noite
A noite o torna assombrado.

O gato de rua
Suja-se na terra e procura alimento na lixeira
E dorme ao relento
E se molha durante o temporal
E briga com outros gatos por causa de uma gata.
Tem sete vidas
Mas morre atropelado,
A vassouradas, envenenado
E por espingarda de chumbinho.
É odiado por cães,
Donas de casas pragmáticas
E por tiozinhos estúpidos.

O gato de rua arranha,
Morde,
Caça pássaros, ratos e insetos.
Pode transmitir toxoplasmose
É suscetível a parasitas e doenças severas
E às vezes sobrevive da caridade de algumas pessoas
Recebendo pão amanhecido e leite frio.

O gato de rua é igual aos outros gatos
Pois também é contrário ao colo
Ao dono
Tem seu próprio estilo
Mas mia quando sente fome
Sede, dor ou deseja ser acariciado.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Saúdo o Homem Simples

[Cabana com camponês regressando à casa (1885) - Van Gogh]



Saúdo o Homem Simples


O homem que é simples
Na sua simplicidade rústica e inteligente
Que labuta contra o mato
Açoita a terra vermelha
Abre caminho
Planta, rega, colhe
Sofre de cansaço na noite
Crê na ressurreição das almas
Mas nunca viu milagres
A não ser ele mesmo e as coisas que não compreende.

O Homem que é simples
Que ama a manhã e os bichos
E faz comunhão com o sol e com o pão
Que não entende a guerra do mundo
Nem os movimentos das bandeiras e as divisões da terra
Desconhece a metafísica e a gramática
Que não odeia
Que não mata
Que de tão simples e puro
É quase improvável sua existência.
Mas existe
E eu o saúdo.


sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

The Kills - No Wow



Alison Mosshart e Jamie Hince

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Águas de Janeiro



Águas de Janeiro



As chuvas que regam os campos

Enchem os rios e os ribeirões
Não sabem dos homens
Das suas construções parcas e inclinadas
Não conhece a casa dos Silvas,
Dos Oliveiras e dos Pereiras.

E o morro desce no Rio de Janeiro
A TV anuncia os caos
E o Rio é longe, longe das minhas mãos
Mas suas águas me atingem
Afogando-me.

E o morro desce
Alcança meu corpo
Traz barro e pedra
Vigas, ferros e objetos irreconhecíveis
O morro apaga tudo.
Mas o barro não enterra a dor dos moradores
E nem a vergonha dos prefeitos incapazes.

E o morro desce em Janeiro no Rio
E as águas do Rio em Janeiro descem.

E as chuvas não sabem o que levam
Nem o que trazem
Apenas despencam em gotas graves
Para encherem os Rios e os Ribeirões.

terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Mais Um Dia

[Retrato de Dr. Gachet (1890) - Van Gogh]



MAIS UM DIA


A página em branco
E o pó circundante
Dizem-me algo
Mas ensurdeço
E como Édipo
Arranco os olhos
E continuo a viver.


Achei meu livro ruim
Rasguei-o junto ao coração selvagem
Como alguém que retira as próprias tripas
E as joga aos leões
É preciso erguer-se depois das cinzas
Criar asas – esse e o meu pensamento
E nada mais importa.


Fecho a porta e desço para a cidade
As ruas completas de caras e olhos sombrios
E estou sombrio e caminho sombrio
Nenhum barco atravessará a correnteza
E nenhuma bebida dará clareza ou ânimo
Ainda penso sobre poemas e Oppenheimer
Enquanto o sol avança para o mar
Fecho os olhos para sonhar outra vez.