sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

O Tempo

Um poema para o término de mais um ano.



O Tempo


O homem engole o Tempo
E o Tempo não morre na barriga do homem.
Ele aumenta e aumenta.
Incha a barriga
E devora o homem de dentro pra fora.

O Tempo é assim
Como um bicho pragento
Que come aos pouquinhos
E a gente ri, canta e vive
E só depois se dá conta que o Tempo nos devorou
Devorou a cor dos cabelos,
O brilho dos olhos,
A pele, os dentes, os ossos...

Por fim é o Tempo que engole o homem
E o homem some na enorme barriga do Tempo.

18 comentários:

  1. Antes que acabe o ano, venho desejar-te um 2011 com muita prosa & poesia & energias positivas...
    Abçs*

    ResponderExcluir
  2. Para não sumir na barriga do Chronos devorador, resta ao homem se tornar Kairos e inventar um tempo lógico e existencial.
    Boas festas! :]

    ResponderExcluir
  3. Franck, obrigado pelo carinho. Também lhe desejo muita poesia e prosa... Um ótimo ano.

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  4. O nosso próprio tempo... O meu Kairos é um quadro de Bosch ou Dali. Boas festas!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  5. Um belo texto para fechar e iniciar um ano!
    Que tenhas sempre tempo de ser feliz.

    Um ótimo ano!

    Abraço.

    ResponderExcluir
  6. Carlos, obrigado pelo elogio. Desejo boas festas e um bom ano.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  7. "E o homem some na barriga do tempo" :-)

    Feliz 2011 Alex. Que as palavras jorrem em erupção!

    ResponderExcluir
  8. Feliz ano novo para vocÊ também, obrigada.
    Abraço

    ResponderExcluir
  9. Alex
    Continue sempre assim.
    Você escreve diferente e eu gosto disto.
    Desejo-lhe muita produção criativa para compartilhar conosco.
    Um lindo Novo Ano!

    ResponderExcluir
  10. Parabéns pelo blog e pela sua escrita!

    ResponderExcluir
  11. Nicole, obrigado. Também desejo um excelente ano para você.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  12. Leila, agradeço a visita. Que o ano seja bom para todos nós.

    Um grande abraço.

    ResponderExcluir
  13. Zazá, obrigado pelo carinho. Fico contente por sua visita e afeto. Um ótimo ano!

    Forte abraço.

    ResponderExcluir
  14. Kel, seja bem-vinda a estes rascunhos. Obrigado pelo carinho e elogio.

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  15. Parabéns pelos escritos,gostei mto!
    Estou seguindo.

    Feliz 2011!

    Abraços.

    ResponderExcluir
  16. Obrigado, Judy. Seja bem-vinda. Fico contente pelo carinho. Um excelente ano para você também.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  17. gostei do poema!
    espero que o tempo não esteja com tanta fome esse ano. rs

    ResponderExcluir
  18. O tempo é insaciável, meu caro. Insaciável! Bem-vindo a esta loucura destoante.

    Abraços.

    ResponderExcluir